^ Publicidade


Notícias

19/02/2014 às 20h58

Dois detentos fogem da cadeia de Carmo do Rio Claro

Sem comentários
Allan Henrique Ribeiro Esteves, 19 anos, ainda não foi recapturado. / Foto: Hélder Almeida
Allan Henrique Ribeiro Esteves, 19 anos, ainda não foi recapturado. / Foto: Hélder Almeida

Folha da Manhã

Dois detentos que estavam recolhidos na Cadeia Pública de Carmo do Rio Claro conseguiram fugir na manhã de ontem, durante o horário de visitas. Um deles já foi recapturado pela Polícia Civil e está novamente recolhido ao cárcere, mas até o final da tarde o segundo ainda continuava foragido.

O fugitivo Allan Henrique Ribeiro Esteves, 19 anos, estava apreendido naquela unidade prisional desde julho de 2012, quando ainda era menor, depois de participar do assassinato do lavrador Manasses de Carvalho, na época com 32 anos. A polícia não informou a identidade do detento que já foi recapturado.

De acordo com o delegado Ismael Jerônimo Soares, que também é diretor da Cadeia Pública de Carmo do Rio Claro, os dois presos aproveitaram o horário de visitas e, de alguma forma, conseguiram abrir a porta da cela para depois pularem o muro da unidade e chegarem à rua. No momento um policial militar e um agente penitenciário faziam a segurança do local.

A princípio não foi constatado nenhum arrombamento ou dano ao prédio público. “Eles abriram o portão da cela e saíram. Nós ainda estamos investigando qual subterfúgio, ou manobra, que eles usaram para deixar o local. Não houve arrombamento, corte de grades, túnel, nem nada”, afirmou Soares.

O delegado conta ainda que a fuga ocorreu por volta das 9h30 e imediatamente foi detectada pelos agentes e policiais que estavam no local. Em rastreamento na tentativa de recapturar os presos fujões, os policiais conseguiram localizar e prender um deles já em um matagal na zona rural do município, há cerca de 4 quilômetros da cadeia, saindo da cidade.

Ao ser recapturado, o detento disse que apenas empurrou a porta da cela e ela se abriu. A polícia não acredita nesta versão e investiga como aconteceu.

Sem comentários

Nenhum comentário